X

Notícias

Polícia prende terceiro suspeito de morte de psicóloga da Penitenciária de Catanduvas

Notícias, Policial
-
31/05/2017 10:07

Agente foi assassinada na quinta-feira, 25, quando chegava em casa, em Cascavel (PR); o marido, policial civil, foi gravemente ferido

Segundo o delegado Rodrigo Brown o preso é suspeito de ter participado da organização e da execução do crime (Foto: Polícia Civil/Divulgação)
Legenda da foto

Policiais civis prenderam um terceiro suspeito de ter participado da morte da psicóloga que atuava na Penitenciária Federal de Catanduvas, no oeste do Paraná. Ela foi morta a tiros na quinta-feira, 25, quando chegava em casa, em Cascavel, na mesma região. O marido, que é policial civil, foi gravemente ferido.

Segundo o delegado Rodrigo Brown, investigações levaram a polícia até um hotel em Três Barras do Paraná, cidade próxima a Cascavel, onde o suspeito havia se hospedado até o dia do crime. A polícia apurou que ele faz parte de uma organização criminosa que atua no Paraná. O suspeito, já condenado por tráfico de drogas, foi preso em casa, na segunda-feira, 29, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), e apresentado nesta terça, 30, na capital.

“Algumas pessoas confirmaram que ele tinha recebido uma missão e que não cumprisse ia receber a pena de morte por parte dos líderes desta organização criminosa. De posse destas e de outras informações podemos afirmar com certeza que ele participou ativamente da organização da ação criminosa e também da execução, sendo o único que conseguiu fugir naquele dia”, comentou o delegado.

No dia do crime, em um condomínio no Bairro Canadá, um dos suspeitos foi morto e outro escapou.

Na sexta-feira, 26, a polícia declarou que a morte da psicóloga pode ter sido encomendada em função do cargo que ela exercia. Ela integrava uma comissão que avalia as condições psicológicas dos presos.

As investigações iniciais apontavam ainda que os responsáveis pela morte da psicóloga estavam na cidade havia ao menos uma semana e alugaram uma casa no Jardim Colmeia, na região norte, onde foram presos dois suspeitos na madrugada de sexta.

O local foi identificado após uma denúncia anônima. E, na troca de tiros com a polícia, outro suspeito foi morto. Ainda de acordo com os policiais, no local foram encontrados dois fuzis e uma pistola.

Todos os suspeitos negam a participação no crime.

O marido da psicóloga permanece internado e não corre risco de vida.

Visitas suspensas

Em função deo crime envolvendo a agente e da descoberta de que o traficante Fernandinho Beira-Mar se comunicava com familiares por meio de bilhetes, o Departamento Penitenciário Nacional decidiu suspender por 30 dias as visitas íntimas e sociais nas quatro penitenciárias federais do país: Catanduvas, Mossoró (RN), Campo Grande (MS) e Porto Velho (RO).

G1/Fronteira Online