X

Notícias

Romena é encontrada com filha após 10 anos em cativeiro na Itália

Internacional, Notícias
-
02/12/2017 11:39

A mulher estava com a filha de três anos trancada em um local sem água, luz elétrica e sistema de esgoto

Créditos: Polícia Italiana
Legenda da foto

Uma romena de 29 anos foi encontrada pela polícia em um porão localizado em Gizzeria, na Calábria, Itália. A mulher estava com a filha de três anos trancada em um local sem água, luz elétrica e sistema de esgoto. Segundo informações da BBC Brasil, ela viveu uma década em cativeiro.

“Quando os agentes entraram, a jovem estava sentada no chão, com uma criança no colo, completamente no escuro, em meio a excrementos, insetos e ratos. Uma situação macabra, difícil de descrever”, relatou ao veículo o capitão Pietro Tribuzio, comandante da Polícia Militar da cidade de Lamezia Terme, no sul do país.

O caso foi descoberto durante uma blitz de rotina dos policiais, na qual pararam Aloisio Francesco Rosario Giordano, de 52 anos, por dirigir em alta velocidade. Quando analisaram o automóvel, notaram algo estranho na relação entre o homem e uma criança de 9 anos que dormia no banco traseiro.

“Ao levantarem sua ficha criminal, os policiais constataram que Giordano já havia sido condenado por sequestro e violência sexual, e decidiram segui-lo até a sua residência”, disse Tribuzio.

Segundo o comandante, quando eles chegaram ao terreno, em uma localidade isolada e de difícil acesso de Gizzeria, o homem teria dito que a mulher e a filha deles de três anos não estavam em casa. Mas os policiais perceberam a porta de um galpão trancada com corrente e cadeado, e ordenaram que a abrisse.

Quando abriram a porta, os agentes encontraram um porão onde havia dezenas de objetos acumulados, restos de comida, latas com excrementos e um colchão no chão, no qual a jovem dormia com os filhos.

No início, a vítima teria afirmado que estava de acordo com viver naquela situação, sendo transferida em seguida, com as duas crianças, para um hotel na cidade. Após receber ajuda psicológica, ela passou a relatar os dias de violência que viveu durante 10 anos.

A imprensa local revelou detalhes impactantes sobre o período de cativeiro. A mulher contou ter recebido vários golpes na cabeça e cortes no órgão genital, e que os ferimentos eram costurados pelo homem com linhas de náilon, usadas para pescar. Os filhos também eram vítimas de agressões físicas.

Giordano já foi condenado em 1995 a cinco anos de prisão por sequestro, violência sexual e lesões corporais contra uma jovem de 23 anos.

Catraca