X

Notícias

Tempestade tropical Maria tomou força e pode se tornar furacão

Internacional, Natureza, Notícias
-
18/09/2017 09:38

Embora a tempestade esteja seguindo quase a mesma trajetória do furacão Irma, ainda é muito cedo prever se chegará a península

Foto: Reprodução Web
Legenda da foto

A tempestade tropical Maria ganhou força e pode se transformar em furacão no decorrer deste domingo, 17, durante o seu deslocamento para o leste das Pequenas Antilhas, informou o Centro Nacional de Furacões (NHC) dos Estados Unidos.

O fenômeno meteorológico, que apresenta ventos máximos sustentados de 100 km/h, se dirige para as Pequenas Antilhas, recentemente atingidas pela devastadora passagem do furacão Irma e das quais se encontra a 720 km.

No último boletim divulgado, o NHC apontou que Dominica está sob aviso de furacão, enquanto Santa Lúcia se encontra sob aviso de tempestade tropical.

Ambas as ilhas, assim como outras próximas, sofreram recentemente impacto do furacão Irma, com casos dramáticos como o de Barbuda, devastada em mais de 90% segundo as autoridades locais, que ainda não terminaram as tarefas de reconstrução.

Maria se move em direção oeste-noroeste a uma velocidade de translação de 24 km/h e deve manter este padrão ao longo dos próximos dias, durante os quais o olho do fenômeno se aproximará das Pequenas Antilhas na noite de segunda-feira com características de furacão, de acordo com o NHC.

Embora a tempestade esteja seguindo quase a mesma trajetória do furacão Irma, que atingiu a Flórida, a Geórgia e a Carolina do Sul, ainda é muito cedo prever se chegará a essa península.

Além de María, os meteorologistas do NHC continuam a acompanhar o desenvolvimento de outros dois ciclones no Atlântico.

Furacão José

O furacão de categoria 1 José mantém a trajetória com direção norte, com uma velocidade de translação de 15 km/h, e está 575 km/h ao sudeste do Cabo Hatteras, na Carolina do Norte. José se fortaleceu levemente nas últimas horas e apresenta ventos máximos sustentados de 150 km/h e deve permanecer como furacão durante os próximos dias.

Enquanto isso, Lee se debilitou nas últimas horas e foi rebaixado a depressão tropical em direção oeste a 13 km/h, sem representar uma ameaça para zonas povoadas.

Situada ao oeste-sudoeste de Cabo Verde, em frente ao litoral nordeste africano, Lee tem ventos máximos sustentados de 55 km/h, com sequências mais fortes, e são esperadas poucas mudanças de intensidade durante os próximos dois dias.

G1