X

Notícias

Tristeza e clamor por justiça marcam velório de Naiara em Caxias do Sul

Notícias, Policial
-
22/03/2018 16:25

Corpo da criança desaparecida desde o dia 9 foi localizado pela polícia na quarta-feira, 21, após suspeito confessar o crime. Foram realizados protestos e tentativa de incêndio

Adriele, prima da menina, questionava como suspeito estava preso (Foto: Reprodução/RBS TV)
Legenda da foto

Suspeito de abusar e matar Naiara, em Caxias do Sul, era investigado por outro estupro

O corpo da menina Naiara Soares Gomes, de 7 anos idade, é velado em Caxias do Sul, na Serra, nesta quinta-feira, 22. Ela estava desaparecida desde o dia 9, e foi localizada na quarta, 21, após um suspeito confessar o crime e apontar o local onde ela havia sido deixada, na barragem do Faxinal, em uma Zona Rural da cidade. O homem está preso.

O velório ocorreu em uma capela próxima ao bairro Esplanada, onde vivia Naiara. O enterro está programado para acontecer às 15h no Cemitério Público Municipal de Caxias do Sul. Sobre o caixão da menina foram colocadas uma boneca que ela gostava, e flores. Familiares, vizinhos, amigos e pessoas que se envolveram de alguma forma no caso acompanhavam o velório no qual o clima era de revolta e muita tristeza.

“Queremos justiça, porque como pode uma pessoa assim, que já tinha estuprado outra menina, estar solto?”, protestava Adriele Gomes, prima de Naiara.

Ela se refere à investigação iniciada no ano passado, que ajudou a polícia a chegar ao suspeito que confessou a morte. Ele foi apontado como autor de estupro de outra menina, de 9 anos, ocorrido no ano passado.

O delegado que conduziu as investigações, Caio Márcio Fernandes, afirmou que o suspeito não havia sido preso pelo outro estupro porque ainda não havia sido identificado. “Conseguimos algumas peculiaridades que nos permitiram chegar à autoria, coisa que não havíamos conseguido no caso anterior”, afirmou.

A menina desapareceu no dia 9 após sair de casa acompanhada do primo, de 15 anos, para ir ao colégio. Ela foi apanhada pelo suspeito que passava pela região em um veículo de cor branca. Por meio desse carro, a polícia conseguiu chegar ao suspeito.

Os muros da escola onde Naiara estudava receberam desenhos e mensagens de paz. Os servidores, no entanto, não quiseram falar por orientação da prefeitura.

Após ser preso, o homem confessou com detalhes como sequestrou e matou Naiara naquela sexta-feira. “Admitiu que havia matado”, disse o delegado.

A notícia da localização do corpo e detenção do suspeito gerou revolta na população. Foram realizados atos pedindo por justiça, a rodovia BR-116 foi bloqueada por cerca de uma hora durante a madrugada desta quinta, 22, e a casa onde o suspeito vive sofreu uma tentativa de incêndio. O fogo, no entanto, foi controlado pelos vizinhos.

Durante a manhã, o suspeito que confessou o crime foi transferido de presídio por questões de segurança. Seu nome só deve ser divulgado após a obtenção da prisão preventiva.

G1