X

Notícias

Tropeços seguidos em casa, excesso de chuveirinhos: veja o que Carille diz

Esportes, Nacional
-
28/08/2017 10:21

Em entrevista coletiva após derrota para o Atlético-GO, técnico do Corinthians, líder do Brasileirão, diz: "Tudo se resume em gols, e não fizemos nas chances que criamos"

Fabio Carille, técnico do Corinthians (Foto: Marcos Ribolli)
Legenda da foto

Ainda líder com folga no Brasileirão (10 pontos de vantagem sobre o Grêmio, que tem um jogo a menos), o técnico do Corinthians, Fábio Carille, passou pela segunda experiência consecutiva de sair de Itaquera com uma derrota na competição na noite deste sábado.

Ao tentar explicar o novo revés em casa por 1 a 0, desta vez para o Atlético-GO, Carille lembrou também o tropeço no Vitória, na semana passada:

– Duas partidas em casa que não poderíamos ter deixado passar assim, mas isso é o Campeonato Brasileiro. Está sendo a primeira surpresa negativa para nós, mas esse é o campeonato.

Sobre a derrota em si, Carille disse:

– O futebol se resume em gols. Criamos oportunidades e, se você faz o gol, o jogo muda. Depois, levamos o gol no começo (do segundo tempo), tentamos as mudanças, mas não fomos felizes nas conclusões. Criamos, mas não conseguimos concluir. Falar dessa diferença de ser primeiro e último, você entra com expectativa grande. Só que tudo se resume em gols, e não fizemos nas chances que criamos.

O Corinthians abusou das bolas levantadas na área: foram 30, contra nove do Atlético-GO. No total, o Timão teve 32 finalizações, contra oito do Dragão. No critério “chance real de gol”, foram nove dos paulistas e três dos goianos. Sobre essas estatísticas, Carille disse:

– Sabia que o jogo era para os lados e, aí, você acaba cruzando mais bolas mesmo. Contra o Vitória, sim, foi um pouco desnecessário o número, foram 40, algo fora do normal. Depois, mostrei aos jogadores alguns lances em que poderíamos ter feito diferente.

A respeito da ausência de alguns titulares contra o Atlético-GO, Carille comentou:

– O Jô, a fase dele mostra, é claro que faz falta, assim como Arana, Romero e Balbuena, que são os jogadores que sempre fazem falta pelas suas qualidades.

Carille procurou demonstrar tranquilidade e confiança no trabalho. Com a pausa no Brasileirão por conta da chamada data Fifa, o Corinthians só volta a jogar no dia 10 de setembro, contra o Santos, na Vila Belmiro.

– Sempre deixei claro que o campeonato vai se definir nas últimas rodadas. Sou ciente disso, o que aconteceu no primeiro turno foi fora do normal, de repente disparamos. Esses pontos em casa não podemos perder, mas, infelizmente, aconteceu. Não tenho a preocupação de ritmo, é um grupo maduro, e vamos trabalhar nesses dias para o clássico contra o Santos – disse Carille.

O técnico do Corinthians falou a respeito da pausa no campeonato, por conta da data Fifa:

– Essa parada vai ser boa para nós e para todo mundo. Vou ter o Jadson e Pablo em melhores condições, esperar Balbuena e Arana, vai ser bom. Não me preocupo com quebra de ritmo.

Ainda a respeito dos pontos perdidos em Itaquera, Carille comentou:

– Não vamos atingir o que fizemos no primeiro turno, sou muito ciente disso, sei que o campeonato é difícil. Temos de trabalhar em cima dessa vantagem, mas são oportunidades que não podemos deixar passar dentro de casa. Não fez contra o Vitória? Tinha que fazer contra o Atlético-GO. Tínhamos de estar mais concentrados para não deixar passar essa oportunidade.

GE