X

Notícias

Vigilante é encontrado morto em prédio da prefeitura de Criciúma

Notícias, Policial
-
18/09/2017 10:11

Segundo a PM, ele estava com as pernas amarradas e pode ter sido espancado dentro de prédio da prefeitura. Motocicleta da vítima foi levada

Foto: Arquivo / Marcelo de Bona
Legenda da foto

Um vigilante foi encontrado morto e com as pernas amarradas no local de trabalho em Criciúma, no Sul catarinense, na manhã deste domingo, 17. A PM acredita que ele possa ter sido espancado e trata o caso como latrocínio, pois a motocicleta dele foi levada.

Por volta das 7h, o corpo do vigilante de 52 anos foi localizado no paço municipal, que foi destruído por um incêndio e passa por reforma. Ele entrou às 19h de sábado no serviço e seria substituído por outro vigilante às 7h deste domingo.

O colega estranhou o portão do local aberto sem cadeado e os documentos da vítima no chão. Por isso, acionou reforço da empresa de segurança privada antes de entrar no prédio. No interior da edificação, a equipe encontrou Sidnei Roberto Manoel já sem vida, com as pernas amarradas e marca de agressão na cabeça. A PM acredita que ele possa ter sido morto durante a madrugada.

Uma Biz que Sidnei usava para ir trabalhar foi levada. Até a publicação desta notícia nenhum suspeito havia sido identificado. A PM não sabia quantas pessoas teriam cometido o crime e se algum outro objeto ou pertence de Sidnei havia sido levado.

Sidnei morava em Criciúma e trabalhava há 18 anos na Triângulo Segurança Privada. Segundo a empresa, a família está recebendo todo apoio. Esta é a primeira vez que um trabalhador da empresa é morto em um assalto em mais de 30 anos, conforme a gerência de RH da Triângulo.

Por nota, o delegado da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Criciúma Yuri Miqueluzzi afirmou que “informo que a Polícia Civil instaurou inquérito policial e desde logo iniciou as atividades para apurar autoria e circunstâncias da infração penal. As providências iniciais foram realizadas e a investigação criminal prossegue de forma sigilosa. Diante dos indícios preliminares, a apuração ficará a cargo da Divisão de Roubos da DIC de Criciúma. A Polícia Civil de Santa Catarina manifesta condolências aos familiares e amigos enlutados”.

O G1 não conseguiu contato com o IML para outros detalhes sobre o caso.

G1